terça-feira, 28 de janeiro de 2014

A Batalha Sangrenta

Continuando, Seguimos rumo ao sul, pois a leste não tinha mais volta, já que a ponte se partiu. Descemos e coincidentemente seguíamos os mesmos passos dos orcs. Na primeira noite achamos uma fenda entre as rochas e conseguimos passar a noite. Não achamos animais ou plantas.. Nossas rações estavam acabando e a noite estava mais fria que a anterior. Seguimos viagem em direção ao sul e este dia foi pior ainda. Não encontramos lugar nenhum para passar a noite, muito menos algum tipo de animal ou planta. No desespero, estava no final da tarde, mas resolvi procurar um pouco mais por um lugar para passar a noite, enquanto isso Bront e Thoren começou a levantar um pequeno muro de pedras..

Voltei já anoitecendo sem encontrar nada, a não ser no fim do horizonte um ponto de luz.. Era um grupo passando a noite em um ponto muito distante, aproximadamente 1 hora de marcha rápida.. Pode ser o mesmo grupo que atacara a vila. Voltei e encontrei Thoren e Bront levantando o muro, e Bellaras e Mandrake batendo queixos, não se aguentando de frio. Falei pra eles sobre o grupo distante e resolvemos ir em direção a eles. Após 20 minutos de caminhada, Mandrake e Bellaras caem e eu vejo que dificilmente chegaremos no nosso destino. Resolvemos voltar para o ponto onde começamos e dar continuidade no muro que levantamos, mas Mandrake já não aguenta mais.. Bront o carrega nas costas. Bellaras também não aguenta mais e eu o carrego.. Chegamos até o baixo muro erguido exaustos.. Não tinham nem 50 cm de muro levantados ainda, mas resolvemos dormir ali, jogando os panos e o que dava para se tampar. Seríamos alvos fáceis ali, mas ou dormíamos, ou morríamos.

Felizmente, a noite se passou e nada aconteceu. Levantamos e seguimos até o local do acampamento da noite anterior. Chegamos até lá e vimos uma fogueira apagada com água, sangue, dente que segundo o Mandrake seria de um humano e rastros.. Alguns seguiam a sul, outros seguiam para o paredão da montanha. Resolvemos seguir a sul, já que o inverno pesado iria chegar em breve e nosso estoque de ração estava acabando. Após horas de viagem encontramos algumas raízes e encontrei uma caverna. O grupo estava logo a frente, algo em torno de 40 minutos. Mas, estávamos famintos e fadigados pela noite mal dormida. Não daria para batalhar naquelas condições.

Fizemos ali um cozido, com um resto de lenha que encontramos no caminho.. Tampamos a porta da caverna com a barraca de Bellaras e dormimos ali mesmo. Logo a fogueira se apagou, mas eu estava cansado e  dormi feito um javali. Pelo que soube, Thoren escutou um barulho de fora da barraca, mas meu ronco o deixou confuso sobre o barulho, ele se levantou e jogou um pano na minha cara.. Eu nem vi isso.. Realmente havia movimentação lá fora. Não entendi muito bem o motivo, mas ele quis investigar sozinho. Chegou até um pequeno buraco entre a porta da caverna e a barraca, e observou, ao olhar neste buraco, simultaneamente apareceu um olho de orc que também estava espreitando rsrs.. Ambos assustaram e o anão, dando sequência na sua sábia decisão em investigar tudo sozinho, rasgou a única barraca que tínhamos com seu machado, tentando acertar o orc. Em vão, claro.

A primeira batalha!

Com os barulhos e as movimentações acontecendo, Bront acordou, mas diferentemente do anão, ele não conseguia ver o que estava acontecendo em meio a escuridão. Mas, também diferentemente do anão, Bront agiu com sabedoria e gritou para que os demais acordassem. Nisso, acorda Bellaras e Mandrake, e logo um globo de luz se levanta em meio a caverna. Eu surdo não ouvi bosta nenhuma, mas vi o povo se mexendo e me empurrando de forma brusca, resolvi levantar já desembainhando a espada, mas com um pano na cabeça, a luz cegando em meio a caverna escura e sem entender o que estava acontecendo... Quando me restabeleci vi um orc chutando o anão pra fora da caverna e outros dois orcs tampando a porta.. Bront ataca o primeiro com um golpe, mas é recebido com uma forte espadada de outro orc e cai desacordado.

Eu corro e acerto o primeiro, Bellaras me ajuda arremessando sua espada e dá certo. Eles me golpeiam, mas estou de pé. Escuto uma flecha zunindo meu ouvido, e depois vi que era Mandrake. Estava com tanta sede de sangue que por duas vezes fui golpear os orcs e acertei o alto da caverna, e com isso minha espada trincou.. O mesmo aconteceu com Bellaras que arremessou a espada erroneamente na parede.. Lá em baixo, o anão se cura e começa a escalar as rochas.. Conseguimos derrubar o primeiro orc que caiu desfiladeiro abaixo, mas Thoren conseguiu desviar e conseguiu se manter escalando, o problema foi a espada do orc que veio logo em seguida e acertou thoren que caiu novamente morro abaixo. O anão bravamente se levanta, se cura novamente, e volta a escalar o penhasco. Mas, logo vem o corpo do segundo orc e o derruba novamente. AhueAUEHuehUEHUhe!! Thoren resolve esperar a batalha acabar lá de baixo. O último orc escapa e Mandrake faz uma daquelas gosmas nojentas e faz o maldito cair.. Eu pensei em segui-lo, mas eu não me arriscaria naquele desfiladeiro, a passar pela gosma.. Resolvi ajudar o Thoren e voltei para buscar uma corda..

Neste meio tempo, Bellaras havia jogado a magia de cura dele em Bront que se levantou e foi atrás do Orc. Mandrake desfaz a magia e Bront persegue o orc e o derruba com uma voadora. O orc também o golpeou, mas Bront se manteve acordado. Thoren curou a todos e voltamos a dormir.

No dia seguinte, seguimos e logo avistamos a uma distância de uns 600 metros o outro grupo. Mas, após a noite anterior, tínhamos apenas mais 3 rações.. Deixamos de perseguir o outro grupo e focamos em caçar algo pra comer.. Após algumas horas vimos que era inútil. Se houvesse algo, o outro grupo já teria pegado.. Nossa meta agora era abater esse grupo, por questão de sobrevivência.. Mas, agora eles apertaram o passo e estavam distantes.. Continuamos marchando e, sem lugar para dormir, passamos a noite no meio do mato, sem lugar nenhum pra dormir e comemos o resto que tínhamos de ração.. No dia seguinte apertamos o passo e sem encontrar nada para comer dormimos a uma distância razoavelmente próxima do outro grupo. Acordei antes do amanhecer, puto de fome, pronto pra matar ou morrer! Acordei o restante do grupo e fomos fazer um ataque surpresa. Encontramos o grupo levantando acampamento ainda e iniciamos o ataque, nada furtivos rsrs..

A principal batalha!

Logo matamos 2 orcs que de cara já me feriram. Apareceram outros 2, que também conseguimos matar rapidamente. Mas, logo escutamos vários gritos e vimos que muitos orcs estariam em batalha conosco em breve... Se aproximaram outros 5 orcs, eu avancei em batalha com Bront e os demais chegaram um pouco depois. Começamos a golpear os próximos orcs e chegaram Mandrake, Thoren e Bellaras para ajudar. Mandraque me dá um apoio para batalhar com 3 orcs e Bellaras apoia Bront com outros 2. Thoren que foi golpeado caiu, mas foi curado por Bellaras.. Logo, derrubamos outros 2 orcs e Bront e Bellaras outros 2. Thoren nos ajuda com sua cura. Eu nessas alturas já estava mal e se aproximavam outro grupo de orcs. Começamos outra batalha, 2 atacaram a mim e a Mandrake, os outros 2 atacaram Bront e Bellaras. De longe vinham algumas flechas, mas com sorte nada que nos atrapalhou. Sinceramente, me surpreendi com a habilidade de combate do monge, acho que ele estava escondendo o ouro até aqui. Sem dúvidas, foi sua melhor batalha. Eu me vi gigante novamente e parti ao meio 2 orcs, e ajudei Bront a finalizar o último. Thoren nos curou e conseguimos nos manter em pé. Desse momento em diante, nem sei mais quantos matamos e como foi, só sei que matamos. Ao final da batalha, estava exausto e com 15 orcs mortos, e 2 fugiram.


O acampamento era nosso!